Prévias Rio-2016: Triatlo

Atualizado em 15/07/2016 após a desistência de Javier Gomez Noya (ESP), por conta de uma fratura no braço.

Masculino

Pódio Londres-2012: Ouro – Alistair Brownlee (GBR); Prata – Javier Gomez Noya (ESP); Bronze – Jonathan Brownlee (GBR)

Último Mundial (2015): Ouro – Mario Mola (ESP); Prata – Javier Gomez Noya (ESP); Bronze – Richard Murray (RSA)

article-1344343592031-146ceacf000005dc-627168_636x435

Alistair Brownlee (GBR)

Após dominar o triatlo desde Londres, os irmãos Brownlee são novamente os favoritos a uma dobradinha da família. Alistair Brownlee (1O) é o atual campeão olímpico e é o favorito para o bicampeonato, algo inédito no triatlo olímpico. Jonathan Brownlee (1B) fica um pouco atrás, mas pode surpreender. Nesta temporada, Alistair venceu duas etapas da Série Mundial, em Leeds e Estocolmo, e só venceu duas em 2015. Jonathan venceu 2 etapas no início de 2015 e este ano já tem 3 pratas e 1 bronze.

Quem pode atrapalhar a festa dos irmãos são os espanhóis. Mario Mola venceu a etapa final do ano passado, que vale como o Mundial e este ano faturou em Abu Dhabi, Gold Coast e Yokohama. Javier Gomez Noya é presença constante nos pódios, o que aconteceu 7 vezes em 2015, mas nenhuma neste ano, pois só competiu duas vezes neste ano, 4º em Leeds e um ouro no campeonato europeu em Lisboa, mas uma fratura no braço no começo de julho o tirou dos Jogos do Rio.

O sul-africano Richard Murray venceu a etapa de Edmonton e foi bronze no Mundial de 2015, e belisca alguns pódios. Também ficar de olho no francês Vincent Luis, no espanhol Fernando Alarza e no mexicano Crisanto Grajales.

E o Brasil? Diogo Sclebin será o único representante brasileiro na prova masculina, mas será apenas coadjuvante na prova. Em etapas da Série Mundial, raramente alcança um top-30.

Meu Pódio: Ouro – Alistair Brownlee (GBR); Prata – Mario Mola (ESP); Bronze – Richard Murray (RSA)

Feminino

Pódio em Londres-2012: Ouro – Nicola Spirig (SUI); Prata – Lisa Nordén (SWE); Bronze – Erin Densham (AUS)

Último Mundial (2015): Ouro – Gwen Jorgensen (USA); Prata – Non Stanford (GBR); Bronze – Vicky Holland (GBR)

del_77323

Gwen Jorgensen (USA)

A americana Gwen Jorgensen é mais que favorita, é um ouro praticamente certo pros EUA. Falei dela aqui. Jorgensen venceu praticamente tudo que disputou nos últimos 3 anos. Venceu 17 provas seguidas, para perder pela 1ª vez em Leeds, em abril para a britânica Helen Jenkins. Mas nas duas provas seguidas, Jorgensen provou que é quase imbatível. Em Leeds, tinha uma desvantagem de mais de 1min30s para Flora Duffy, de Bermudas, mas graças a sua corrida excepcional não só tirou a diferença como venceu por quase 1min.

Brigam pelas outras medalhas a excelente equipe britânica com Helen Jenkins, Non Stanford e Vicky Holland, Flora Duffy, que teve uma ascensão meteórica nos últimos 2 anos e pode ganhar a 2ª medalha olímpica da história de Bermuda, a 1ª desde 1976, as americanas Katie Zaferes e Sarah True. A atual campeã, a suíça Nicola Spirig que venceu num phot finish até hoje questionável se não houve empate, não competiu esse ano ainda fazendo de sua participação uma incógnita.

E o Brasil? Pâmella Oliveira fez ótimas provas ano passado, mas este ano obteve como melhor colocação na série Mundial um 26º lugar. Dificilmente será top-10.

Meu Pódio: Ouro – Gwen Jorgensen (USA); Prata – Non Stanford (GBR); Bronze – Flora Duffy (BER)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s