Maria Lenk – Dia 2

Sem novos índices, mas tempos muito interessantes!

100m costas feminino

0da2090e751b95fc4d8baf59efaad3a0

Etiene Medeiros. Foto: Satiro Sodré/CBDA

Ufa! Depois de fazer índice nos 50m e 100m livre e nos 100m borboleta, Etiene Medeiros tira o peso das costas com 1:00.00 cravado nas eliminatórias e se garante na sua principal prova. Nas finais, a campeã mundial e piscina curta dos 50m não melhorou o tempo, fazendo 1:00.11, ficando longe da marca obtida no Pan de Toronto, 59.61, que lhe rendeu o ouro. Também nadando bem, Natália de Luccas foi prata com 1:01.11e Maria Pessanha completou o pódio brasileiro com 1:02.63.

200m livre masculino

Pela manhã, Nicolas Oliveira havia feito o melhor tempo com 1:46.97, exatamente 1s melhor que o índice, mas na final piorou muito a sua performance (1:48.17) e viu João de Lucca passar melhor com 1:47.65 e levar o ouro. Os dois se garantem na prova no Rio-2016 como os únicos a baixar do índice. O Brasil ainda não tem vaga garantida no revezamento 4x200m livre, mas já tem a equipe formada, caso se classifique. Se juntariam a Nilo e João, Luiz Altamir Melo (que já tem vaga olímpica nos 400m livre) e a novidade André Pereira.

100m peito feminino

O índice era algo bem distante, mas Jhennifer Alves venceu a prova nacional com 1:08.31 (perdeu para a argentina Macarena Ceballos com 1:08.03 no evento-teste, mas é campeã brasileira). O índice (1:07.85) nem ficou tão longe assim e Jhennifer supera a crise que teve pela mudança de clube do Flamengo pro Pinheiros. Caso o Brasil leve a vaga no 4x100m medley feminino (difícil), ela disputa os Jogos. O pódio brasileiro foi completado pela argentina Julia Sebastian (que pode é “brasileira esportivamente” por já disputar o torneio há alguns anos) com 1:08.85 e por Ana Carla Carvalho (1:09.31).

100m costas masculino

Guilherme Guido brilhou nas eliminatórias com excepcionais 53.10, a apenas 0.01 do seu recorde sul-americano. Na final, abriu ainda melhor na parcial dos 50m, mas não manteve o ritmo e caiu fechando com bons 53.25, único a baixar do índice de 54.36. Para medalhar no Rio, precisaria de 52 alto. Já com índice para os 200m medley, Henrique Rodrigues foi prata com 54.41, a 0.05 da marca pros Jogos e não poderá nadar a prova. Vitor Guaraldo foi bronze com 54.63.

400m livre feminino

Manuella Lyrio quebrou o primeiro recorde brasileiro do torneio na final, mas saiu muito insatisfeita e com razão. Com bons 4:09.48, ela baixou em 0.48 o seu recorde próprio recorde nacional, mas ficou a 0.40 do índice olímpico da prova, de 4:09.08. Apesar disso, ela, que já tem índice nos 200m livre, poderia nadar os 400m nos Jogos, já que fez índice B. Viviane Jungblut foi prata com 4:15.58 e Bruna Primati bronze com 4:15.65.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s