Mundial de Ciclismo Estrada

Voltando ao EUA após quase 30 anos, o Mundial de ciclismo de estrada foi o grande destaque dessa semana. Em Richmond, Virginia, ciclistas de 76 países disputaram as 12 provas em jogo.

Peter Sagan. Foto: Tim de Waele

Neste domingo, último dia, a prova mais longa, a estrada masculina adulta. 192 ciclistas de 51 países percorreram os 261,40km nas ruas da cidade americana. Como quase sempre acontece em corridas de rua, a chegada foi definida no final. Até os 3km finais em enorme pelotão ainda seguia junto, quando o eslovaco Peter Sagan aproveitou a última subida da prova para passar a frente. Conseguiu abrir na descida que veio logo depois e fez força para se manter com boa vantagem e vencer a prova em 6:14:37, com 3s de vantagem sobre o pelotão. Atual tetracampeão por pontos do Tour de France, Sagan conquista seu primeiro grande título em um corrida. O australiano Michael Matthews e o lituano Ramunas Navardauskas completaram o pódio do Mundial. Outros grandes nomes como Alejandro Valverde, Philippe Gilbert e Tony Gallopin chegaram no pelotão da frente, também. Os brasileiros Antonio Garnero e Kleber Ramos não completaram a prova. Veja o belo final de prova do Sagan aqui.

Já na prova feminina, de 129,6km, a disputa veio no sprint final, a poucos metros da linha de chegada. A britânica Lizzie Armitstead não deixou a holandesa Anna van der Breggen abrir e se manteve na frente para vencer com 3:23:56. Prata em Londres-2012, foi o primeiro título mundial de estrada da britânica. A holandesa foi prata e a americana Megan Guarnier completou o pódio para a única medalha americana em provas adultas.

Com a ausência do suíço Fabian Cancellara, a prova contra-relógio ficou com o bielorrusso Vasil Kiryienka. Veterano de 34 anos, ele levou esta mesma prova este ano nos Jogos Europeus. Kiryienka completou em 1:02:29.45, deixando o italiano Adriano Malori em 2º a 9.08 e o francês Jerome Coppel em 3º a 26.62. O favorito pra prova era o alemão Tony Martin. Acabou sendo um pouco prejudicado por ser o 1º a largar. Tricampeão mundial e vice olímpico do contra-relógio, Martin terminou em 7º a mais de 1min16s do campeão.

O contra-relógio feminino foi bem mais disputado. A esperança americana era da bicampeã olímpica Kristin Armstrong, que decepcionou com um 5º lugar. A neo-zelandesa Linda Villumsen, que havia subido no pódio desta prova por 5 mundiais seguidos (mas ficou de fora no ano passado), faturou seu primeiro ouro completando os 29,9km em 40:29.87, apenas 2s54 melhor que a holandesa Anna van der Breggen e a 5s26 da alemã Lisa Brennauer.

No juvenil feminino, destaque pra americana Chloe Dygert, que venceu tanto a prova de estrada como o contra-relógio. O austríaco Felix Gall venceu na estrada juvenil, o alemão Leo Appelt no contra-relógio juvenil, o francês Kévin Ledanois faturou a estrada Sub-23 e o dinamarquês Mads Schmidt levou o contra-relógio Sub-23. No contra-relógio por equipes, a BMC Racing Team venceu no masculino e a equipe alemã Velocio-SRAM faturou no feminino.

O Mundial serviu de classificatório olímpico para o contra-relógio, dando 10 vagas no masculino (BLR, ITA, FRA, ESP, NED, AUS, GER, POL, CZE e USA) e 10 no feminino (NZL, NED, GER, AUS, USA, BLR, BEL, RUS, CZE e CAN). O próximo Mundial será em outubro de 2016 em Doha, Qatar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s