Mundial de Atletismo – Prévia II

Vamos a segunda parte das prévias, com provas de meio fundo, marchas e saltos.

Meio Fundo

David Rudisha

Até há pouco desconhecido, o bósnio Amel Tuka chega a Pequim com o melhor tempo do ano nos 800m, com 1:42.51 quando venceu na Diamond League de Monaco. Mas nunca subestime o queniano David Rudisha, atual recordista mundial e campeão olímpico, apesar de ter ficado de fora do último mundial por lesão. Nijel Amos (BOT), Ayanleh Souleiman (DJI) e o atual campeão mundial Mohammed Aman (ETH) são outros nomes muito fortes. Nos 1.500m, a disputa deve ficar entre 3 nomes fortíssimos: o queniano campeão olímpico Asbel Kiprop, seu compatriota Silas Kiplagat e o Souleiman, de Djibouti. Cada um deles levou duas etapas da Diamon League esse ano, sendo que o melhor tempo do ano é do Kiprop com 3:26.69.

Genzebe Dibaba

No feminino, a queniana Eunice Sum é a grande favorita. Já levou 4 etapas da Diamond League no ano e tem 1:56.99, obtidos em Paris. A americana Ajee Wilson (1:57.87) e a cubana Rose Mary Almanza (1:57.70) são suas grandes concorrentes. Nos 1.500m, difícil alguém bater a etíope Genzebe Dibaba, a irmã mais nova do clã Dibaba, que bateu o recorde mundial em Monaco com 3:50.07 em julho. A holandesa Sifan Hassan é outra com grandes chances, já correndo duas vezes abaixo de 4min e com duas vitórias na Diamond League. De olho também na americana Jennifer Simpson e na sueca Abeba Aregawi, que apesar de vir fazendo uma temporada bem ruim, é a atual campeã mundial.

Marchas

O ano tem se mostrado excepcional para a Marcha, com recordes mundiais sendo batidos por duas vezes na de 20km masculino e duas nos 20km feminino. O japonês Yusuke Suzuki tem o atual recorde mundial dos 20km com excepcionais 1:16:36 e tem tudo pra levar o ouro, já que o francês Yohann Diniz não compete em Pequim. Os 7 melhores tempos do ano inscritos no Mundial são de asiáticos, com 3 japoneses, 3 chineses e um coreano, mas não subestime os russos, como o atual campeão mundial Aleksandr Ivanov.

O eslovaco Matej Toth fez em casa em março o 3º melhor tempo da história dos 50km, com 3:34:38, mas como cada prova é uma prova, terá dificuldades com os japoneses, chineses e poloneses. Grande surpresa do último mundial, o irlandês Robert Heffernan tem 3:48:44 no ano, 12º tempo de inscrição.

Hong Liu

Entre as mulheres, a chinesa Hong Liu tem 1:24:38 no ano (WR), vencendo as etapas de La Coruña e Rio Maior do circuito mundial. A Rússia vem com apenas uma atleta, Svetlana Vasilyeva. Elmira Alembekova, que fez 1:24:47 em Sochi em fevereiro, não estará em Pequim, assim como a atual campeã olímpica e mundial Elena Lashmanova.

Saltos

Renaud Lavillenie

O salto em altura masculino promete uma disputa sensacional. Prova mais falada do ano passado, 5 atletas passaram dos 2,40m em 2014. Esse ano, apenas Mutaz Essa Barshim (QAT) passou da marca, com 2,41m em Eugene. Apesar da marca, ele não vence uma etapa da Diamond League desde essa, em maio. Após Eugene, foram 4 etapas e 4 vencedores diferentes. Quem ainda não apareceu direito no ano foi o ucraniano Bohdan Bondarenko. Também brigarão bem o canadense Derek Drouin, campeão do Pan, e o chinês Guowei Zhang. Ainda sem ouro em mundiais, o francês Renaud Lavillenie só perde o ouro no salto com vara se fizer bobagem. Depois de ficar dezenas de provas invicto, fez algumas bobagens no ano, não vencendo duas etapas seguidas da Diamond League, após optar por inciar tarde e já com o sarrafo bem alto. O alemão Raphael Holzdeppe defende o título mundial. Outros nomes que brigarão por medalha são o brasileiro Thiago Braz, com 5,92m no ano, o canadense Shawn Barber (5,93m) e o grego Konstadinos Filippidis (5,91m).

Sem nunca ter disputado uma competição grande, o americano Jeff Henderson é o grande favorito já que tem os 3 melhores saltos do ano: 8,52m, 8,50m e 8,44m. Seu compatriota Marquis Dendy também vem com boa regularidade, assim como o britânico campeão olímpico Greg Rutherford. Outro final que promete muito é a do triplo. Pedro Pablo Pichardo já fez 18,08 e 18,06 no ano e está bem perto do recorde mundial. O americano Christian Taylor também já saltou duas vezes acima de 18m no ano, sendo que em uma delas, em Doha, os dois fizeram isso, sendo a única vez na história que algo assim aconteceu. Os 10 melhores saltos do ano são dos dois atletas.

Caterine Ibarguen

O salto em altura feminino também promete, com 4 já saltando acima de 2m esse ano! Em 6 etapas da Diamond League, foram 5 campeãs diferentes, então tudo pode acontecer. Campeã olímpica Anna Chicherova tem a melhor marca do ano com 2,04m e concorrerá com a polonesa Kamila Licwinko, a espanhola Ruth Beitia e a russa Maria Kuchina. Será que a croata Blank Vlasic vai levar seu 3º título mundial? Outro final boa será o salto com vara feminino, com o pódio do Pan muito provavelmente fazendo o pódio no Mundial. A cubana Yarisley Silva mostrou em Toronto que sai bem de situações adversas e chega na China com excelentes 4,91m obtidos há 15 dias em Beckum. Fabiana Murer volta ao estádio onde fracassou em 2008 e tem tudo para levar sua 2ª medalha em mundiais outdoor. Em Toronto também mostrou que está lidando bem com a pressão. Campeã olímpica, a americana Jenn Suhr fez 4,82m esse ano, mas não venceu nenhuma etapa da Diamond League, enquanto Fabiana já levou 2. A grega Nikoleta Kyriakopoulou pode atrapalhar o pódio pan-americano. Com 3 etapas vencidas, tem 4,83m esse ano.

No salto em distância, a previsão é difícil, mas pende pra americana Tianna Bartoletta, que fez 7,12m na seletiva americana, única a passar dos 7m esse ano. Campeã no Pan e numa temporada bem regular, a canadense Christabel Nettey tem 6,99m no ano e deve pegar um pódio, assim como a britânica Shara Proctor. Campeã olímpica e mundial, a americana Brittney Reese ainda não espantou o mundo e tem 6,97m no ano, longe do seu melhor. Invicta há 28 competições, a colombiana Caterina Ibarguen não perde desde a final olímpica de Londres, quando foi prata. Esse ano, tem 14,88m e 6 dos 10 melhores saltos de 2015. Defendendo o título mundial, a colombiana terá como grande adversária a russa Ekaterina Koneva, única a passar dos 15m esse ano num salto válido, com 15,04m em Eugene. No mesmo meeting, Ibarguen venceu com 15,18m, mas com vento levemente acima do permitido, com +2,1m/s. Campeã olímpica, a cazaque Olga Rypakova tem apenas 14,48m no ano e deve brigar com o bronze com outrs 3 atletas, que já saltaram para mais de 14,60m.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s