Mundial de Atletismo – Prévia I

O Ninho de Pássaro em Pequim receberá o 15º Mundial de Atletismo, que contará com mais de 1.900 atletas de 207 países disputando as 47 provas olímpicas.

Brasil

A equipe brasileira é bem grande, contando com 58 nomes, sendo 34 homens e 24 mulheres. No início, seriam 48 brasileiros, mas como o número total de inscritos ficou abaixo do esperado, a IAAF convidou mais 10 brasileiros para completar o número mínimo de inscritos por prova, de acordo com o ranking mundial.

Fabiana Murer

Apesar da grande equipe, as chances de medalha são muito poucas, concentradas no salto com vara. Com 4,83m no ano, Fabiana Murer chega em Pequim para seu último mundial com a 2ª marca do ano. Thiago Braz, apesar de ficar sem marca no Pan, tem o 4ª melhor marca de inscrição, com os excelentes 5,93m em prova de rua no Azerbaijão.

O 4x100m feminino é muito forte, mas sem Ana Cláudia Lemos, contundida no Pan, as chances caem muito. Além da Ana, o Brasil tem 3 ausências muito fortes: Mauro Vinícius no salto em distância, Carlos Chinin no decatlo e Anderson Henriques, finalista dos 400m no último mundial.

O Brasil deve buscar um número grande de finais (top-8) e tem boas chances com Darlan Romani no peso, Augusto Dutra na vara, Caio Bonfim na marcha 20km, Luiz Alberto de Araujo no decatlo, Andressa de Moraes no disco, Érica Sena na marcha 20km e os revezamentos 4x100m masculino e feminino. Muito curioso pra ver a Flavia de Lima nos 800m e a Vanessa Spinola no heptatlo.

Sprints

Justin Gatlin

Será que Usain Bolt vai levar o tri nos 100m e o tetra nos 200m? Dessa vez ele não chega como favorito e quem aparece é o campeão olímpico de 2004, Justin Gatlin! Aos 33, o americano tem esse ano excepcionais 9.74 nos 100m e 19.57 nos 200m, melhores marcas do ano. Outros jamaicanos vem com as segundas marcas: Asafa Poweel 9.81 e Rasheed Dwyer 19.80. Com 20 anos, o americano Trayvon Bromell é o nome da nova geração e tem 9.84 nos 100m esse ano.

Nos 400m, o melhor tempo do ano é de Isaac Makwala, de Botsuana, mas o campeão olímpico Kirani James vem logo atrás com 43.95. LaShawn Merritt, campeão em 2013, é o melhor americano com 44.36.

Entre as mulheres, os favoritismo ainda é da jamaicana Shelly-Ann Fraser-Pryce. Bicampeã olímpica e bi mundial, já completou os 100m este ano em 10.74 e tem a americana English Gardner com 10.79 e a nigeriana Blessing Okagbare com 10.80 na cola.

Allyson Felix

Allyson Felix é a única inscrita a baixar da barreira dos 22s este ano, com 21.98, e na carreira, com incríveis 21.69. Campeã olímpica em Londres, era a favorita também em 2013, mas sentiu uma contusão na final e não terminou. A holandesa Dafne Schippers tem 22.09 este ano e briga por um lugar no pódio. Já na disputa dos 400m, 4 americanas e 3 jamaicanas tem os melhores tempos, apenas com uma atleta de Bahamas no meio. A melhor marca do ano é da americana Francena McCorory com 49.83.

Barreiras/Obstáculos

O francês Pascal Martinot-Lagarde levou tudo ano passado, faturando 5 etapas da Diamond League, mas esse ano ainda não convenceu e chega a Pequim com o 3º tempo de balizamento, 13.06. Melhor que ele o jamaicano Omar McLeod com 12.97 e o americano David Oliver com 12.98, campeão do Pan e atual campeão mundial. Dos 6 melhores tempos nos 400m com barreiras, 5 são de americanos, com Bershawn Jackson liderando com 48.09. Um pódio americano é algo bem possível, mas o porto-riquenho Javier Culson pode estragar. O atual campeão mundial, o trinitino Jehue Gordon ainda não apareceu no ano, e tem apenas 49.22.

Zuzana Hejnova

O pódio dos 100m com barreiras feminino só não será americano se ocorrer um desastre. Sharika Nelvis tem 12.34 no ano e é a favorita. Jasmin Stowers surpreendeu o mundo com 12.35 no início do ano, mas foi apenas 5ª nas seletivas americanas e não estará no Mundial! A atual campeã Brianna Rollins e a veterana Dawn Harper podem completar o pódio. A britânica Tiffany Porter pode surpreender. Nos 400m com barreiras, a americana Shamier Little já correu duas vezes abaixo de 54s esse ano, mas de olho mesmo na checa Zuzana Hejnová, que volta de contusão e venceu as últimas 3 etapas da Diamond League e quer defender seu título mundial.

Jairus Birech correu em Paris esse ano 7:58.83 nos 3.000m com obstáculos e lidera a armada queniana, que ainda tem o campeão mundial e olímpico Ezekiel Kemboi. Os americanos tem ótimos tempos no ano, mas não costumam surpreender nesta prova, não. No feminino, a tunisiana vice-campeã olímpica Habiba Ghribi vem com o melhor tempo do ano, 9:11.28, obtido na etapa de Monaco em julho, mas tem como fortes adversárias as quenianas e a etíope Hiwot Ayalew.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s