Mundial de Revezamentos – Dia 2

Os Estados Unidos seguiram com o show em Nassau, vencendo o Mundial mais uma vez.

4x800m feminino

A vitória das americanas foi impressionante. Não apenas pelo ótimo tempo de 8:00.62 (média de quase 2min, o que é um excelente tempo para os 800m), mas pela enorme margem! A Polônia ficou com a prata com longínquos 8:11.36 e a Austrália completou o pódio com 8:13.97. A ótima equipe americana formada foi liderada pela campeãs mundial indoor dos 800m em 2014 Chanelle Price. Decepção do Quênia, com um 8º lugar.

4x400m feminino

O Brasil já tinha garantido vaga na final no dia anterior e bastava terminar a prova para já se garantir nos Jogos. A vitória ficou, claro, com as americanas. A equipe americana contou com Phyllis Francis, Natasha Hastings, a grande Sanya Richards-Ross e Francena McCorory e completou com 3:19.39, recorde do campeonato. Novamente a diferença para as outras foi boa, com a Jamaica em 2º com 3:22.49 e a Grã-Bretanha com o bronze com 3:26.38. A equipe brasileira com Joelma Sousa, Jailma de Lima, Liliane Fernandes e Geisa Coutinho ficou em 8º com 3:31.30 e já está no Rio-2016.

Medley Masculino

Recorde Mundial. Foto: Getty Images

 

A disputa ficou entre Austrália, Estados Unidos e Quênia. Na última perna, a mais longa de 1.600m, que a emoção aconteceu. O americano Ben Blakenship deixou o queniano Timothy Cheruiyot liderar e abrir. Mas as duas fortes primeiras volta do africano custara caro. Ele começou a desacelerar e viu o Blakenship passar, mas não o deixou abrir. Ele seguiu logo atrás, mas o americano conseguir manter a liderança e ir para a vitória com 9:15.50, batendo o recorde mundial por apenas 0.06! A Austrália ficou com o bronze com 9:21.62.

4x200m masculino

Numa prova maluca, cheia de erros, a Jamaica deu o troco nos americanos após a derrota no 4×100 no dia anterior. A Jamaica começou muito forte com Nickel Ashmeade e Rasheed Dwyer e parecia que ameaçariam o recorde mundial estabelecido no ano anterior. Mas uma passagem desastrosa de Dwyer para Jason Livermore acabou com as chances do recorde. Ainda assim, a Jamaica seguiu pro ouro com Warren Weir completando com 1:20.97, bem longo do 1:18.63 do ano passado.

Mas o desastre foi com os americanos, que na passagem de Isiah Young para Curtis Mitchell o bastão foi derrubado. Mitchell até o pegou no chão em outra raia, mas como saiu da zona de transição, foram desclassificados. Detalhe que Mitchell também esteve envolvido na desclassificação dos americanos nesta prova no ano passado. Prata para a França com 1:21.49 e bronze para a Alemanha com 1:22.65.

4x100m feminino

A disputa ficou, claro, entre americanas a jamaicanas. Os EUA contavam com 3 atletas campeãs olímpicas que quebraram o recorde mundial em Londres e a Jamaica tinha uma grande equipe com todas atletas campeãs mundiais e/ou olímpicas em revezamentos.

As americanas vinham bem, com vantagem mas na última passagem, Carmelita Jeter não conseguiu segurar a super Veronica Campbell-Brown que ultrapassou com 50m para vencer com 42.14 contra 42.32 das americanas. A Grã-Bretanha completou o pódio com 42.84. O Brasil fez um bom tempo, terminando na 6ª posição com 42.92, melhor marca do ano, e confirmou a vaga olímpica.

4x400m masculino

LaShawn Merritt. Foto: Getty Images

 

Tradicional última prova, a disputa ficou entre os americanos e os donos da casa, campeões olímpicos em Londres. Mas os americanos lideraram em todas as parciais e venceram com 2:58.43, com a sensacional equipe formada por David Verburg, Tony McQuay, Jeremy Wariner e LaShawn Merritt. Com 3 campeões olímpicos, Bahamas ganhou sua única medalha na competição com 2:58.91 e Bélgica, com 3 irmãos Borlée, fechou o pódio com 2:59.33. O Brasil fez um ótima prova e ficou em 5º com 3:00.96, melhor tempo de uma equipe brasileira desde o Mundial de 2001! Isso sem o Anderson Henriques! De olho nesta prova no Rio-2016.

Sendo assim, os EUA dominaram o Mundial, vencendo 7 das 10 provas e ficaram com o título geral com 63 pontos, seguidos de Jamaica com 46 e Polônia com 34. O Brasil ficou em 9º. Apenas Brasil, Jamaica e EUA conquistaram vagas olímpicas nos 4 revezamentos para o Rio-2016. O próximo Mundial de Revezamentos será em 2017, novamente em Nassau.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s