7ª Semana de Mundiais – Sexta e Sábado

Vôlei

Vamos começar com a sexta, porque o sábado foi duro.

Já garantido na semi, o Brasil venceu bem a República Dominicana por 3-0, parciais 25-19 25-21 25-17, aniquilando a Bethania de la Cruz e eliminando as dominicanas da competição. No outro jogo do dia, pela outra chave, a Rússia precisava vencer a Itália por 3-0 ou 3-1 para avançar e eliminar as americanas, mas elas não são nem sombra do time de 2006 e 2010. A Itália venceu por 3-1 com parciais no mínimo esquisitas (25-12 25-17 12-25 25-23) e eliminou as bicampeãs mundiais. Semifinais definidas, Brasil x Estados Unidos e Itália x China.

Foi duro, mas aconteceu o inesperado. O Brasil chegou com 11 vitórias em 11 jogos e era o favorito para levar o caneco, mas com as americanas nunca se brinca. Elas vinham de 2 derrotas em 11 partidas, uma inclusive para o Brasil num jogo que foi praticamente um amistoso apenas com as reservas.

No primeiro set, o Brasil não acertava a recepção e nem o passe e as americanas não erravam. Resultado, 25-18. No 2º, o Brasil entrou com outra cabeça. Abriu 11-5 e parecia que daria o troco tranquilamente, mas muitos erros de arbitragem e momêntos polêmicos (incluindo um cartão amarelo para o banco brasileiro), igualaram o set. O Brasil teve 3 set points e não conseguiu fechar, até levar a virada e ver as americanas abrirem 2-0 com 29-27.

No terceiro, já apático por perder o 2º set do jeito que foi, o Brasil não conseguiu impor jogo e exagerou nas falhas de passe e recepção, enquanto tudo dava certo do outro lado. Até ensaiaram uma reação no final, mas foi em vão. Vitória americana por 25-20 e fechando por 3-0. Grande jogo de Jordan Larson, Kelly Murphy e Kimberly Hill.

Na outra semi, a China, que quase ficou para trás na quinta-feira para a República Dominicana, surpreendeu as italianas e venceu por 3-1, parciais 25-21 25-20 20-25 30-28 e também chega a final. É a 4ª final chinesa (foram 2 títulos, em 1982 e 1986) e a 3ª americana (nenhum título ainda).

Ginástica Artística

Se o vôlei não trouxe alegria, a ginástica já foi diferente. Após o 6º lugar por equipes e o 7º no individual, a ginástica masculina brasileira conseguiu 2 medalhas por aparelhos neste sábado.

Na primeira final do dia, o solo masculino, Diego Hypolito, que nem era para ter disputado o mundial, conquistou sua 5ª medalha em Mundiais, desta vez o bronze. Com 15,700, ele completou o pódio mais apertado do dia. O ouro ficou com o russo Denis Abliazin com 15,750 e a prata com o japonês Kenzo Shirai com 15,733. O japonês, que defendia o ouro, pisou milímetros fora do tablado e perdeu um décimo, que acabou tirando o seu bicampeonato. Diego agora tem 2 ouros, 1 prata e 2 bronzes em Mundiais, todos no solo.

A outra medalha veio do nosso campeão olímpico Arthur Zanetti nas argolas. Invicto desde os jogos de Londres, Zanetti perdeu para o chinês Liu Yang, que vinha melhor que ele neste mundial. O chinês tirou 15,933 contra 15,733 do brasileiro. Yang foi um décimo melhor na dificuldade e mais um décimo melhor na execução, não deixando dúvidas. Abliazin levou sua segunda medalha com o bronze, empatado com outro chinês, You Hao, ambos com 15,700.

No cavalo com alças, o húngaro Kristian Berki é realmente o nome a ser batido. Campeão olímpico em Londres, Berki faturou seu 3º ouro em mundiais, muito a frente dos outros. Famoso pelas suas tesouras excepcionais, Berki tirou 16,033 contra 15,783 do croata Filip Ude.

Nas finais femininas, a armada chinesa fez dobradinha nas barras assimétricas. Yao Jinnan venceu com 15,633 e a campeã em 2013 Huidan Huang foi prata com 15,566. No salto, a norte-coreana Un Jong Hong deixou as favoritas americanas para trás. Hong tirou 15,599 na média, na frente de Simone Biles com 15,554, quebrando a sequência de 4 ouros americanos nesta prova em mundiais.

Biles, aliás, na sexta ficou com o título do individual geral, se tornando a primeira bicampeã seguida do individual geral desde Shannon Miller em 93-94. Biles dominou por completo a final, tirando a melhor nota no solo (15,066) e no salto (15,866), foi a 3ª na trave (14,766) e a 5ª nas barras (14,533). Campeã mundial em 2010, Aliya Mustafina brigava pelo pódio até o final, quando teve uma queda no solo e ficou sem medalha. Surpresa foi a romena Larisa Iordache com a prata, primeira medalha da Romênia no individual geral desde 2007.

Pódios

Individual geral feminino

Ouro – Simone Biles (USA) – 60,231

Prata – Larisa Iordache (ROU) – 59,765

Bronze – Kyla Ross (USA) – 58,232

Solo masculino

Ouro – Denis Abliazin (RUS) – 15,750

Prata – Kenzo Shirai (JPN) – 15,733

Bronze – Diego Hypolito (BRA) – 15,700

Cavalo com Alças masculino

Ouro – Kristian Berki (HUN) – 16,033

Prata – Filip Ude (CRO) – 15,783

Bronze – Cyril Tommasone (FRA) – 15,600

Argolas masculino

Ouro – Liu Yang (CHN) – 15,933

Prata – Arthur Zanetti (BRA) – 15,733

Bronzes – Hao You (CHN) e Denis Abliazin (RUS) – 15,700

Salto feminino

Ouro – Un Jong Hong (PRK) – 15,599

Prata – Simone Biles (USA) – 15,554

Bronze – Mykayla Skinner (USA) – 15,366

 

Barras Assimétricas feminino

Ouro – Jinnan Yao (CHN) – 15,633

Prata – Huidan Huang (CHN) – 15,566

Bronze – Daria Spiridonova (RUS) – 15,283

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s