5ª Semana de Mundiais – Quinta, sexta, sábado e domingo

De volta das férias, agora com atualizações mais constantes!

Vôlei

O Brasil encerrou a primeira fase em Trieste com mais 3 vitórias. Na quinta, vitória mais que tranquila sobre o Canadá por 3-0, parciais de 25-14 25-8 25-18. Já no fim de semana, o Brasil teve seus primeiros grandes desafios e mostrou uma certa instabilidade e teve dificuldades, mas foram duas vitórias de virada.

No sábado, a Turquia abriu 2-0, mas o Brasil conseguiu se recuperar e vencer por 3-2 com parciais de 17-25 22-25 25-19 25-21 15-10, com boa atuação de ambas as capitãs, com 17 pontos de Fabiana, sendo 7 bloqueios, enquanto pelo lado turco Gozde Sonsirma fez 19. J;a no domingo, perdeu o primeiro set para a Sérvia por 26-24, mas depois controlou e venceu por 3-1 com 25-21 25-19 25-23.

Com isso, o Brasil fica em 1º no grupo com 14 pontos dos 15 possíveis e avançou para a 2ª fase ao lado de Sérvia, Bulgária e Turquia. Pelo Grupo A, a Itália perdeu por 3-2 para a República Dominicana e venceu o grupo com 13 pontos. As dominicanas, mesmo vencendo as 5 partidas ficaram em 2º com 12 pontos, e avançaram com Croácia e Alemanha.

Pelo Grupo C, no duelo final das favoritas, os Estados Unidos venceram a Rússia por 3-1 num jogo duríssimo (34-32 25-19 29-31 26-24), e com isso as americanas venceram o grupo com os 15 pontos, seguidas da Rússia com 12, Holanda e Cazaquistão. No Grupo D, a China ficou invicta após vencer por 3-2 o Japão na última rodada, que ficou em 2º no grupo. Bélgica e Azerbaijão completaram as equipes clasificadas.

Na segunda fase que começa na quarta-feira, o Brasil está no grupo F ao lado dos classificados do grupo C (não deveria ser A/B e C/D?) e enfrenta, na ordem, Cazaquistão, Holanda, Rússia e Estados Unidos, que já aprecem como líderes do grupo.

Basquete

Começou na Turquia o Mundial feminino no sábado e o Brasil seguiu a receita das últimas competições e já soma duas derrotas. No sábado caiu 68-55 para a República Checa. Já no domingo começou bem contra a Espanha, terminando na frente o 1º quarto com 13-12, mas as espanholas viraram e já venciam no intervalo por 41-26 e terminaram o jogo com uma lavada de 83-56. Agora o Brasil precisa vencer sem falta o Japão para ficar em 3º no grupo e avançar para o mata-mata.

No Grupo A, a Turquia já tem duas vitórias, incluindo um 50-48 contra a França. No C, Austrália e Bielorrússia estão com duas vitórias e vão brigar pela liderança e vaga direta nas 4as. No D, os Estados Unidos venceram seus dois jogos e já estão nas 4as. Na segunda partida levaram um susto no 1º quarto para a Sérvia perdendo por 21-17, mas viraram e venceram 94-74.

Ginástica Rítmica

Muito estranho o regulamento deste mundial. Cada país podia inscrever 3 atletas, mas apenas em 10 apresentações. Até aí ok, mas o estranho é que quase todos os países inscreveram 2 atletas para todas as provas e uma apenas para o arco e bola, e sempre com uma apresentação a menos nas maças e na fita. O único que foge a regra é a Armênia. O Brasil foi na mesma da maioria, mas acabou se enganando e deixou a nossa melhor atletas, a Angelia Kvieczynski de fora do individual geral. Já falei do arco e da bola. Vamos ao resto.

O domínio no individual foi da Rússia. Yana Kudryavtseva (foto) venceu sua terceira prova por aparelho, com o ouro nas maças com 18,750 e viu a sua compatriota Margarita Mamun quase empatar com 18,650, e por pouco não repetiu a dobradinha da bola. Já na final da fita, Kudryavtseva ficou com a prata e não conseguiu ser 100%. Quem ficou com o ouro foi a Mamun com 18,566, bem a frente da sua compatriota com 18.183.

Na final individual geral, mais um ouro para a Kudryavtseva com 75,266 contra 74,149 de Mamun. Completou o pódio a ucraniana Ganna Rizatdinova com 72,449. Por equipe, lógico, deu Rússia, milha a frente da Bielorrússia: 147,914 contra 136,073. O Brasil ficou em 20º entre 32 equipes. No individual geral, Andressa Jardim foi a 53ª e Natalia Gaudio 55ª.

Nas provas por conjunto, o Brasil (foto) foi melhor qualificado na prova de 3 bolas+2 fitas, em 14º com 15,200. Nas maças, tirou 15,283, mas ficou em 17º. No geral, uma razoável 15ª posição, 0,200 pior que os Estados Unidos. O ouro no geral foi para a Bulgária com 34,449, seguida de Itália e Bielorrússia. A Rússia tomou uma punição de 0,60 nas maças e ficou fora do pódio. Por aparelho, ouro espanhol nas maças e russo na de bolas e fitas.

Pódios

Fita

Ouro – Margarita Mamun (RUS) – 18,566

Prata – Yana Kudryavtseva (RUS) – 18,183

Bronze – Ganna Rizatdinova (UKR) – 17,766

Maças

Ouro – Yana Kudryavtseva (RUS) – 18,750

Prata – Margarita Mamun (RUS) – 18,650

Bronze – Ganna Rizatdinova (UKR) – 18,000

Individual Geral

Ouro – Yana Kudryavtseva (RUS) – 75,266

Prata – Margarita Mamun (RUS) – 74,149

Bronze – Ganna Rizatdinova (UKR) – 72,449

Equipe

Ouro – Rússia – 147,914

Prata – Bielorrússia – 136,073

Bronze – Ucrânia – 135,515

Individual Geral Conjunto

Ouro – Bulgária – 34,449

Prata – Itália – 34,282

Bronze – Bielorrússia – 34,133

Conjunto 10 Maças

Ouro – Espanha – 17,433

Prata – Israel – 16,983

Bronze – Bielorrússia – 16,600

Conjunto 3 Bolas+2 Fitas

Ouro – Rússia – 17,950

Prata – Bulgária – 17,616

Bronze – Bielorrússia – 17,466

Ciclismo Estrada

O Mundial seguiu com as provas de estrada. Bronze no contra relógio por equipe este ano e campeão em 2013, ambas pela Omega Pharma-Quick Step, o polonês Michal Kwiatkowski venceu a longa prova de estrada após 6:29:27 e 254,8km. Kwiatkowski chegou sozinho, apenas 1s na frente de Simon Gerrans (AUS) e Alejandro Valverde (ESP). Dos 204 que começaram, apenas 95 terminaram e os três brasileiros (Murilo Fischer, Rafael Andriato e Cristian Egídio) ficaram no meio do caminho. O polonês venceu este ano a Volta do Algarve e chegou a ter a camisa branca no Tour de France por duas etapas.

No feminino, Pauline Ferrand-Prévot (FRA) venceu no sprint final outras 10 ciclistas, deixando a campeã do contra relógio Lisa Brennauer (GER) em 2º, após 127,4km e 3:29:21. Belo ano da francesa, que foi campeã nacional de estrada, de contra relógio e de ciclo-cross, além de vencer a tradicioanl La Flèche Wallonne, além do título europeu sub23 de mountain bike. Flávia Oliveira foi 25ª a 41s da campeã. As irmãs Uênia e Clemilda Fernandes abandonaram a prova.

Pódios

Estrada masculino

Ouro – Michal Kwiatkowski (POL) – 6:29:27

Prata – Simon Gerrans (AUS) – +1s

Bronze – Alejandro Valverde (ESP) – +1s

Estrada feminino

Ouro – Pauline Ferrand-Prévot (FRA) – 3:29:21

Prata – Lisa Brennauer (GER) – mesmo tempo

Bronze – Emma Johansson (SWE) – m.t.

 

Estrada masculino Sub23

Ouro – Sven Erik Bystrom (NOR) – 4:32:39

Prata – Caleb Ewan (AUS) – +7s

Bronze – Kristoffer Skjerping (NOR) – +7s

 

Estrada masculino juvenil

Ouro – Jonas Bokeloh (GER) – 3:07:00

Prata – Alexandr Kulikovskiy (RUS) – m.t.

Bronze – Peter Lenderink (NED) – m.t.

 

Estrada feminino juvenil

Ouro – Amalie Dideriksen (DEN) – 2:02:59

Prata – Sofia Bertizzolo (ITA) – m.t.

Bronze – Agnieszka Skalniak (POL) – m.t.

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s