2ª Semana de Mundiais – Sábado e Domingo

Basquete

E o tabu foi quebrado!! Neste domingo, após várias derrotas doloridas para os argentinos nos últimos 12 anos, o Brasil se vingou e eliminou os hermanos nas 8as de final do Mundial de Basquete! E foi uma vitória maiúscula, com atuações impecáveis de Anderson Varejão e Raulzinho, este último com 21 pontos.

A Argentina começou arriscando os arremessos de 3, já que teria dificuldade de entrar no garrafão brasileiro. No primeiro período, venceu por 21-13, com 5 cestas de 3 para o lado argentino. No segunda quarto, o Brasil começou uma recuperação, mas foi para o intervalo atrás perdendo por 36-33. No 3º, veio a virada e a seleção brasileira só abriu, fechando a partida com 85-65, 20 pontos de vantagem para não deixar dúvidas.

O Brasil havia perdido para os argentinos em pelo menos 5 ocasiões importantes nos últimos anos: nas 4as do Mundial de 2002 por 78-67; na semifinal da Copa América de 2007 por 91-80; nas 8as do Mundial de 2010 por 93-89; na final da Copa América de 2011 por 80-75; nas 4as dos Jogos de Londres-2012 por 82-77.

Nas 4as, o Brasil vai enfrentar novamente a Sérvia, que surpreendeu e venceu a Grécia, que venceu o grupo B, por 90-72. Do mesmo lado da chave brasileira, a Espanha passou tranquila por 89-56 por Senegal e vai pegar a França, que venceu a Croácia por 69-64. As 4 seleções são do Grupo A e nenhuma do B chegou às 4as.

Do outro lado da chave, os Estados Unidos jogaram para o gasto e venceram 86-63 o México e pegam nas 4as a Eslovênia, que passou 71-61 na República Dominicana. A Turquia venceu a Austrália por 65-64 e enfrenta a Lituânia, que venceu 76-71 a Nova Zelândia.

Vôlei

O Brasil sofreu no sábado para passar pela Coreia do Sul. Jogando com o time reserva, venceu os coreanos por 3-2 (21-25 25-13 25-21 17-25 15-13) com 22 pontos de Leandro Vissotto. Fechando a 1ª fase, venceu Cuba no domingo por 3-1 (22-25 25-23 25-18 25-17) e venceu seu grupo. Como a Coreia não avançou, esse resultado é excluído da 2ª fase e o Brasil já começa a segunda rodada como líder isolado com 9 pontos. Fechando o grupo B, a Alemanha ficou em 2º vencendo 3-1 a Finlândia e 3-0 a Coreia. A Finlândia pegou a 3ª vaga com uma vitória de 3-0 na Tunísia e Cuba passou em 4º. Eles venceram a Tunísia por 3-2 no sábado.

No Grupo A, a Polônia ficou com 5 vitórias, vencendo Camarões por 3-1 no sábado e a Argentina por 3-0 no domingo. A Sérvia pegou o 2º lugar após 3-0 na Venezuela e 3-1 em Camarões, que ficaram sem nenhuma vitória e nenhum ponto, mas roubando sets dos melhores do grupo. No sábado, a Argentina, 3ª no grupo, venceu 3-0 a Austrália e no domingo os australianos venceram 3-2 a Venezuela e pegaram a 4ª vaga.

Pelo grupo C, a Rússia fechou com 5 vitórias, marcando 3-0 na China e um 3-2 de virada para a Bulgária no domingo. Com 4 vitórias, o Canadá surpreendeu com o 2º lugar no grupo, fechando sem perder sets para o México e para a China. A Bulgária, que quase venceu a Rússia e sofreu para vencer o Egito por 3-2 pegou a 3ª vaga e a China, que começou o mundial com 2 vitórias e depois teve 3 derrotas, ficou em 4º. No jogo que não valia nada, o México venceu o Egito por 3-2.

No Grupo D, a França passou por 3-1 nos EUA no sábado e venceu duro a Bélgica por 3-2 no domingo, mas mesmo assim liderou o grupo. Também com 4 vitórias, mas com 1 ponto a menos, o Irã ficou em 2º, fechando a primeira fase com vitórias, por 3-1 nos belgas e 3-0 em Porto Rico. A Itália quase ficou de fora, mas avançou, apesar de fechar a fase com 2 derrotas, por 3-1 para Porto Rico e 3-1 para os EUA, que passaram em 3º.

Na segunda fase, as 4 do grupo A e do grupo B estão no grupo F, carregam os resultados apenas das partidas com as equipes que avançaram e vão fazer 4 jogos com as equipes que vieram do outro grupo. O Brasil lidera o grupo F com 9 pontos, seguido da Rússia com 8 e Alemanha com 6. No grupo E, a Polônia lidera com 9, seguida da França com 7 e Sérvia com 6. Apenas 3 passam para a 3ª fase,

Hipismo

No sábado, mais duas rodadas nos saltos definiram os 4 finalistas para o domingo. Os 29 melhores após 3 rodadas disputaram, incluindo dois brasileiros. Na primeira passagem, Rodrigo Pessoa/Status fizeram 5 pontos, cometendo uma falta e estourando o tempo, e somaram 9,10, o que já dificultaria muito ser top 4. Na última passagem, após cometer algumas faltas, Rodrigo abandonou a disputa e terminou em 21º no geral. Marlon Zanotelli/AD Clouwni tinha apenas 5,46 pontos dos outros dias, mas com 9 na primeira passagem, nem disputou a segunda. Quem avançou para a super final foram Patrice Delaveau (FRA), com apenas 4,08 pontos, Beezie Madden (USA) com 4,16, Rolf-Göran Bengtsson (SWE) com 4,34 e Jeroen Dubbeldam (NED) com 6,25.

Na super final, cada um faz 4 passagens, usando os 4 cavalos, um modelo bem interessante e que mostra quem é o melhor cavaleiro (ou amazona) mesmo. Dubbeldam passou a final por muito pouco, mas no domingo foi absolutamente perfeito e zerou as 4 passagens, ficando com o título mundial. O holandês foi campeão olímpico em Sydney-2000. Patrice Delaveau ficou com a prata. Ele não cometeu nenhuma falta, mas estourou o tempo justamente com o seu cavalo. Beezie Madden, presença constante entre os top 10, só zerou com o seu cavalo e somou 12 pontos, ficando com o bronze. Bengtsson não teve um bom dia e somou 14. O cavalo de Beezie, o belíssimo Cortes C foi o único que zerou as 4 passagens.

A atrelagem é parecida com o CCE, mas com 4 cavalos puxando uma espécie de carruagem. Tem a prova de adestramento (assim como o CCE), uma corrida de maratona (equivalente ao cross-country) e uma corrida entre cones (equivalente aos saltos). Após as duas primeiras provas, Boyd Exell (AUS) liderava com 125,83, seguido colado pelo americano Chester Weber com 128,60, mas ambos zeraram a prova de cones, o pódio foi mantido e Exell se tornou tricampeão mundial seguido. Por equipe, o ouro foi para a Holanda. Foi a única prova sem participação brasileira.

Pódios:

Saltos individual

Ouro – Jeroen Dubbeldam (NED) – 0

Prata Patrice Delaveau (FRA) – 1

Bronze – Beezie Madden (USA) – 12

Atrelagem individual

Ouro – Boyd Exell (AUS) – 125,83

Prata – Chester Weber (USA) – 128,60

Bronze – Theo Timmermann (NED) – 133,88

Atrelagem por equipe

Ouro – Holanda – 263,19

Prata – Alemanha – 283,56

Bronze – Hungria – 287,29

Pentatlo Moderno

Na final masculina, Aleksander Lesun (RUS) ficou com o ouro. Na esgrima, obteve 27 vitórias em 35 combates, obtendo a melhor marca. Na natação, fez o 11º tempo com 1:59.17. No hipismo, sem faltas e os 300 pontos máximos. Apesar disso, ele largou na combinada em 2º, 15s atrás do egípcio Amro El Geziry. Lesun fez uma corrida de recuperação e ainda abriu 14 sobre El Geziry, que ficou com a prata. O bronze foi para Jan Kuf (CZE), que chegou 7s depois do egípcio.

É o segundo título mundial individual do russo, que também venceu em 2012, e que ficou fora do pódio em Londres por muito pouco, terminando em 4º.

Mountain Bike

Julien Absalon (FRA) é um dos maiores nomes do esporte. Bicampeão olímpico em Atenas e Pequim, conquistou pela 5ª vez o título mundial do cross country no Mundial que acabou domingo na Noruega. Ele venceu com 1:27:06, seguido do suíço Nino Schurter, prata em Londres, 1:51 atrás e do italiano Marco Aurelio Fontana, bronze em Londres. Entre os brasileiros, nenhum conseguiu chegar até o fim da prova. Ricardo Pscheidt foi 67º com 2 voltas atrás do campeão, Rubens Valeriano 79º 3 voltas atrás, Sherman de Paiva 84º, também 3 atrás, e Henrique Avancini, que se envolveu em um acidente logo no início da prova e depois ainda teve um pneu furado e precisou empurrar a bicicleta por quase meia volta, foi 96º, 5 voltas atrás.

No feminino, Catherine Pendrel (CAN) levou o ouro com 1:31:30, conquistando seu segundo título mundial. A russa Irina Kalentieva, que já venceu o mundial duas vezes, foi prata a 21s da canadense e a americana Lea Davison, a 43s, completou o pódio. Entre as brasileiras, Raiza Goulão foi 37ª a 12:40 da campeã. Isabella Lacerda em 51ª 1 volta atrás e Erika Gramiscelli 55ª duas atrás foram as outras brasileiras.

Na prova Sub23, Luiz Cocuzzi, a nova revelação do esporte, foi 21ª, 5:42 atrás do campeão Michiel van der Heijden (NED). No downhill adulto, Bernardo Cruz foi o melhor brasileiro, em 44º, 13s738 atrás do campeão Gee Atherton (GBR). No downhill juvenil masculino, Silvio Cesar Felix Jr foi 22º. Na prova de cross country eliminator, Luiz Cocuzzi ficou em 16º

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s