Pan Pacífico de Natação

O tradicional campeonato Pan Pacífico, que só ocorre a cada 4 anos, foi realizado em Gold Coast, na Austrália. Ocorrendo ao mesmo tempo que o Europeu, pode ser considerado o campeonato complementar ao torneio do velho continente. Criado em 1985 por Estados Unidos, Austrália, Japão e Canadá, contou este ano com outros 19 países convidados, incluindo o Brasil.

Teve alguns destaques como a competição espetacular de Katie Ledecky, a volta aos torneios internacionais de Michael Phelps, a fraca participação de Ryan Lochte e Missy Franklin, a coroação das velocistas australianas e o domínio japonês no masculino

Além disso, foi a melhor participação brasileira, quando contamos apenas as provas olímpicas. Em 2010, o Brasil venceu 2O-2P-4B, mas, se olharmos somente para as provas olímpicas, esse número cai para 0-1-3.

Brasileiros

Logo no primeiro dia veio a bela surpresa. Leonardo de Deus passou para a final com o segundo tempo dos 200m borboleta com 1:55.33, e, na final, levou a medalha de prata com 1:55.28, melhorando sua marca pessoal por duas vezes. É a primeira medalha dele em competições internacionais importantes (Jogos PanAm não contam, lógico). Ele ficou atrás apenas do japonês Daiya Seto com 1:54.92 e a frente do forte americano Tyler Clary com 1:55.42.

Na sexta-feira, segundo dia de competição, foi a redenção de Felipe França. Campeão mundial nos 50m peito em 2011, ele ficou de fora do Mundial de Barcelona ano passado e viu Felipe Lima levar o bronze. Agora, recuperado, mais magro e se especializando nos 100m, foi prata nos 100m peito com 59.82, atrás do japonês Yasuhiro Koseki com 59.62.

Seguindo a média de uma medalha por dia, o Brasil venceu pela primeira vez uma medalha em revezamentos no Pan Pacífico. No 4x100m livre masculino, com João de Lucca, Marcelo Chierighini, Bruno Fratus e Nicolas Oliveira, fechou em 3º e levou o bronze com 3:13.59, atrás de Austrália (3:12.80) e Estados Unidos (3:13.36).

Para fechar a bela participação, na prova mais rápida, os 50m livre, Bruno Fratus nadou para 21.44 e levou o ouro bem afrente dos americanos Anthony Ervin (21.73) e Nathan Adrian (21.80). Foi o segundo ouro brasileiro em Pan Pacíficos em provas olímpicos, o primeiro desde a vitória de Ricardo Prado nos 400m medley em 1985.

Alguns outros bons resultados no masculino foram: Nicolas Oliveira 5º nos 100m livre com 48.69 e 6º nos 200m livre com 1:46.98, Thiago Pereira 4º nos 200m medley com 1:57.83 e 5º nos 100m borboleta com 52.71, Tales Cedeira 5º nos 200m peito com 2:11.49 e Leonardo de Deus 6º nos 200m costas com 1:57.78.

No feminino, para variar, foram poucas finais. Etiene Medeiros foi muito bem com o 6º nos 50m livre com 25.07 e 7º nos 100m borboleta com 58.67 (não pegou final dos 100m costas), mas o melhor resultado foi de Gracielle Herrmann com o 5º lugar nos 50m livre com 24.78. Nos revezamento 4x100m livre e medley, dois 5os lugares.

Masculino

Quem chamou a atenção nas provas masculinas foi o Japão. Eles venceram 6 provas com Ryosuke Irie nos 100m costas (53.02), Yasuhiro Koseki dobradinha nos 100m e 200m peito (59.62 e 2:08.57), Daiya Seto nos 200m borboleta (1:54.92) e a dobradinha de Kosuke Hagino nos 200m e 400m medley (1:56.02 e 4:08.31).

Na volta de Michael Phelps às competições internacionais, ele venceu os 100m borboleta com 51.29 e foi prata nos 200m medley com 1:56.04, colado no japonês. Já Ryan Lochte decepcionou nas provas individuais, ficando apenas com a prata nos 100m borboleta, 5º nos 200m livre, fora da final A dos 200m medley (só passavam 2 por país e ele foi o 3º americano) e nem nadou as provas de costas.

Legal ver a volta de Tae Hwan-park, que não disputou o Mundial de 2013. Campeão olímpico em 2008 nos 400m livre, ele venceu esta prova em Gold Coast com 3:43.15. Nos revezamentos., a Austrália levou o 4x100m livre e os Estados Unidos os 4x20m livre e 4x100m medley.

Feminino

O nome do torneio foi a jovem Katie Ledecky. Com apenas 17 anos, o prodígio americano se mostra cada vez mais imbatível. Antes focada nas provas de fundo, como os 800m e os 1.500m, agora ela resolveu nadar as de 200m e 400m. E levou as 4! Nos 200m, venceu com 1:55.74, quase 1s5 na frente da medalha de prata. Nos 800m, fez 8:11.35, com 7s de vantagem. Mas o show foram nas outras provas, com dois recordes mundiais. Nos 400m venceu com 3:58.37 e nos 1.500m brilhou com 15:28.36.

Missy Franklin, que quase desistiu por lesão, só teve um bronze nos 100m costas em prova individuais. Ela ainda venceu a Final B dos 200m livre com tempo para ser prata (e assim levou vaga para Kazan), foi 4ª nos 100m livre e 4ª nos 200m costas

Nas provas de velocidade, Cate Campbell é a mulher a ser bateida. Ela fez duas vezes dobradinha com a irmã Bronte, vencendo os 50m livre com 23.96 e os 100m livre com 52.72.

A Austrália ainda levou dois revezamentos, os 100m borboleta e as duas provas de costas. E apenas uma prova não foi vencida por americanas ou australianas. Foi nos 200m peito, a última prova individual, onde Kanako Watanabe foi ouro com 2:21.41.

Agora o foco é o Mundial de Kazan de 2015. Mas antes ainda tem o Mundial de Piscina Curta em dezembro em Doha.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s