A Semana dos Mundiais!

Os Jogos Olímpicos da Juventude só acabam na quarta-feira, mas esta semana é a semana dos mundiais. Nada menos que 4 Mundiais rolam nesta semana: Remo (começou no domingo), Badminton, Judô e Hipismo. Pra completar, temos o US Open de tênis, o de ciclismo paralímpico de estrada que começa na quinta-feira, e no sábado temos o início dos mundiais masculinos de Basquete e de Vôlei.

A maratona segue por setembro, com Pentatlo Moderno, Mountain Bike, Tiro, Luta, Canoagem Slalom, Ginástica Rítmica, Vôlei Feminino, Basquete Feminino… Ufa…

Vamos aos 4 dessa semana

Judô

Principal aposta brasileira da semana, o Mundial ocorre em Chelyabinsk, na Rússia, cidade que ficou conhecida pela queda de um meteoro em 15 de fevereiro de 2013.

O Brasil chega com 18 judocas, 9 de cada gênero, e a CBJ já estipulou que a meta é passar o número de medalhas da edição do ano passado, no Rio de Janeiro, onde ganharam 9. A meta já está mais difícil após um primeiro dia bem ruim, que contarei depois.

Agora, as principais esperanças do Brasil recaem sobre Charles Chibana, Victor Penalber, Rafael Silva, Alex Pombo e o veterano Tiago Camilo. No feminino, Mayra Aguiar, Érika Miranda, Maria Suelen Altheman, Ketleyn Quadros e a campeã mundial Rafaela Silva devem brigar por pódio. Além disso, o Brasil chega muito bem para as disputas por equipe, no domingo.

Todos os principais nomes estão na Rússia, que chega com uma equipe fortíssima.

No masculino, ficar de olho na equipe russa, que conta com o campeão olímpico dos 100kg Tagir Khaibulaev. Como sempre, o Japão chega como favorito em quase todas as categorias. Tentando esquecer o fracasso de Londres (só 1 ouro no feminino), eles vem para repetir e melhorar a performance de 2013 no Rio, onde levaram 3 ouros no masculino. Masashi Ebinuma (66kg) tenta o tricampeonato mundial seguido e Shohei Ono (73kg) tenta o bi. A equipe francesa também é candidata a pódios, principalmente com o quase imbatível Teddy Riner (+100kg), que busca seu 7º título mundial, e o campeão no Rio Loic Pietri (81kg). Mongólia e Geórgia chegam como novas potências da modalidade e podem pegar algumas medalhas.

Entre as mulheres, o Japão tenta melhorar a performance do mundial de 2013, onde só fizeram uma final individual e ficaram sem ouro. Campeã olímpica Karoi Matsumoto (57kg) e medalhistas de bronze em 2013 Yuki Hashimoto (52kg) e Megumi Tachimoto (+78kg) lideram a equipe. Invicta a um ano, Majlinda Kelmendi, do Kosovo, é líder do ranking mundial e favorita nos 52kg nesta terça-feira. Entre as representantes das Américas, a colombiana Yuri Alvear busca seu terceiro título nos 70kg e a americana campeã olímpica Kayla Harrison nos 78kg está de volta de lesão. Da Europa, Miryam Roper (GER) é a grande favorita nos 57kg ao lado da Rafaela. De olho na ótima equipe francesa também.

Remo

O Mundial de provas olímpicas, não-oímpicas e paralímpicas do ano ocorre em Amsterdã e o Brasil, a dois anos dos Jogos do Rio, mandou apenas 3 barcos, sendo que 1 é de categoria não-olímpica. Não dá par entender a preparação da CBR…

O Brasil participa apenas dos double skiffs peso leve no masculino e no feminino, além do skiff quádruplo leve masculino (que não é olímpica), além de todas as 5 categorias no remo adaptado.

As potências do remo são a Grã-Bretanha e a Alemanha que chegam com guarnições em quase todas as provas.

No masculino, de olho no campeão olímpico Mahe Drysdale no single skiff, que deve fazer um belo duelo com o checo Ondrej Synek. Os irmãos croatas Sinkovic disputavam o skiff quádruplo e agora no double skiff chegam como favoritos. Na mesma prova no peso leve, a dupla da França com Jeremie Azou e Stany Delayre é a favorita. No Dois Sem, os neozelandeses Eric Murray e Hamish Bond dominam a prova há seis anos e também disputarão a inusitava prova do Dois Com. No Quatro Sem e no Skiff Quádruplo, a Grã-Bretanha é a favorita. No Quatro Sem Leve, devemos ter um bom duelo entre Dinamarca e Nova Zelândia. O Oito Com é em geral dominado pelos Estados Unidos, mas Alemanha e Grã-Bretanha são os principais favoritos esse ano.

No feminino, duelo da Oceania no single skiff entre Kim Crow (AUS) e Emma Twigg (NZL). O double skiff está mais aberta, com duplas da Lituânia, Austrália, Polônia e Nova Zelândia na briga. No double skiff leve, a dupla Katherine Copeland e Imogen Walsh da Grã-Bretanha é favorita ao ouro. No Dois Sem, outra ouro provável para as britânicas, com as campeãs olímpicas Helen Glover e Heather Stanning, invictas no ano. O Skiff Quádruplo terá uma briga entre Alemanha e Nova Zelândia e o Oito Com deve ficar com a fortíssima equipe dos Estados Unidos.

Hipismo

Os Jogos Equestres Mundiais, que duram 2 semanas, começaram nesta segunda na Normadia, com 74 países inscritos nas oito modalidades, sendo apenas 3 olímpicas.

É o primeiro campeonato a dar vagas para os Jogos Olímpicos do Rio, todas nas provas por equipes. Nos saltos, são 5 vagas para os 5 melhores (excluindo o Brasil, já classificado), 3 vagas no adestramento e 6 para o Concurso Completo.

A Alemanha é a grande potência dos esportes equestres, e tem chances de medalhas nas 3 provas olímpicas. Com uma equipe excepcional de adestramento, a Grã-Bretanha é a favorita e vem com a quase insuperável Charlotte Dujardin, que cada vez bate o seu recorde de pontuação. Estados Unidos, Suíça, Holanda e Bélgica devem pegar medalhas também.

O Brasil participa de 7 das 8 modalidades com equipe completa, totalizando 35 conjuntos. Nos saltos, o Brasil terá uma forte equpe com Doda, Yuri Mansur, Marlon Zanotelli, Rodrigo Pessoa e Pedro Veniss. No adestramento, prova em família, com Luiza Almeida e seus irmãos Manuel e Pedro Almeida (eles são gêmeos), além do filho da jogadora Hortência, João Victor Oliva. Nos concurso completo, Márcio Jorge, Gabriel Cury, Ruy Fonseca e Marcelo Tosi. O Brasil ainda participa das competições de volteio, enduro, rédeas (chance de medalha), e adestramento paralímpico e só fica fora das provas de atrelagem.

Badminton

Fechando os Mundiais da semana, Copenhagen recebe a nata do esporte até domingo.

O Brasil conta com sua maior equipe da história, com Hugo Arthuso, Daniel Paiola, Paula Pereira, Fabiana Silva e Lohaynny Vicente. Se tiver uma vitória está no lucro.

Todos os principais nomes do esporte estarão na Dinamarca, como os líderes do ranking Wei Lee Chong (MAS) no masculino e Xuerui Li (CHN) no feminino.

Quando o assunto é badminto, o domínio é praticamente asiático. China, Malásia, Indonésia, Coreia do Sul e Japão vão brigar pelas medalha, mas os donos da casa podem devem beliscar alguns pódios, com Jan Jorgensen, 3º do ranking mundial, e nas 3 categorias de duplas, onde os dinamarqueses aparecem entre os 3 primeiros do ranking.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s