Jogos Olímpicos da Juventude Nanjing-2014 – Prévia

A segunda edição dos Jogos Olímpicos da Juventude começam oficialmente neste sábado, com a Cerimônia de Abertura e as primeiras finais ocorrem no domingo, mas a ação já começa na madrugada desta quarta para quinta com o futebol. A cidade de Nanjing, na provincia de Jiangsu, receberá 3.600 atletas de 204 países.

O Brasil chega com a segunda maior equipe, com 97 atletas, menos apenas que a China, com 123. Somos maiores até que os Estados Unidos, com 94. Já falei aqui no blog sobre as chances brasileiras de medalha. Agora vou falar um pouco dos esportes e das diferenças para os Jogos Olímpicos, que não são apenas por conta da idade dos atletas.

Um dos fatores mais interessantes dos Jogos da Juventude é a mistura de países e equipes. Algo inimaginável hoje em Jogos Olímpicos, é muito comum e em muitos casos obrigatório nos Jogos da Juventude. Em muitas provas de duplas e equipes, os países se misturam de maneiras muitas vezes bem fora do comum. Há também provas mistas, pouco comuns nos Jogos. Serão 222 provas em 29 esportes.

Algo bem interessante são os esportes, que, em muitos casos, tem provas bem diferentes da versão adulta. Vou falar um pouco de cada um.

Atletismo – As provas serão parecidas com o programa do Mundial de Menores. Serão disputadas: 100m, 200m, 400m, 800m, 1.500m, 3.000m, 100m/110m com barreiras, 400m com barreiras, 2.000m com obstáculos, Marchas 5km/10km, salto em distância, triplo, altura, vara, arremesso de peso, lançamentos de dardo, disco e martelo. A diferença é que não terá prova combinada (octatlo/heptatlo) e o revezamento será o inusitado 8x100m, que terá atletas de todas as provas correndo juntos, incluindo das provas de campo. Cada atleta só pode disputar uma prova individual. Assim como aconteceu em Singapura-2010, as provas tem uma rodada classificatória e as finais A e B (C, D e E quando necessário), tanto em pista como em campo. Há alguns campeões do Mundial de Menores do ano passado na disputa, como o russo Anatoly Ryapolov no salto em distância e o jamaicano Martin Manley nos 400m. Provas: 37 / Atletas Brasileiros: 17 (9H e 8M)

Badminton – Disputas individuais e de duplas mistas. O sorteio das duplas foi realizado na semana passada e misturou os países. Da mesma forma que há duplas, digamos, alternativas como a parceria entre uma dinamarquesa e um congolês e um indiano e uma menina de Botsuana, há duplas que já nasceram fortes, como um malásio e uma de Hong Kong e um chinês com uma coreana. O brasileiro Ygor Coelho de Oliveira será o único representante do Brasil e jogará ao lado da ucraniana Vladyslava Lesnaya. Provas: 3 / Atletas Brasileiros: 1 (1H)

Basquete – Como ocorreu em 2010, será disputado no formato street, 3 contra 3, com apenas um garrafão. Jogos de 10 minutos ou até alguém chegar a 21 pontos. Além disso, teremos duas provas de habilidades. No masculino, a prova de enterradas e no feminino de lances livres. Provas similares são disputadas nos jogos das estrelas da NBA e do NBB. São 2 grupos de 10 em cada gênero. Brasil no masculino pegará AND, ARG, GUA, NZL, ROU, RUS, ESP, TUN e VEN. No feminino, CHN, EST, GER, HUN, NED, SLO, ESP, SYR e VEN. Provas: 4 / Atletas Brasileiros: 8 (4H e 4M)

Boxe – Será de nível bem alto, já que praticamente todos os atletas chegaram às fases finais do Mundial Infanto-Juvenil este ano. São apenas 6 por categoria de peso, sendo 10 categorias masculinas e apenas 3 femininas. Haverá disputas de 5º lugar e da medalha de bronze. Nenhum brasileiro se classificou. Provas: 13 / Atletas Brasileiros: 0

Canoagem – Também repetirá o modelo de 2010, com prova de velocidade e de obstáculos. Não é um slalom, mas obstáculos mesmo, com curvas e saída em queda. O formato é de chaves, com um atleta contra o outro. O amis rápido avança de fase até as finais. A novidade é a inclusão do C1 feminino, já que nunca as mulheres disputaram uma prova de canoa em competições olímpicas. Mirian Barbosa disputará 4 provas, as duas do K1 e as duas do C1. Provas: 8 / Atletas Brasileiros: 1 (1M)

Ciclismo – Em 2010, houve apenas uma prova mista por equipe, com etapas. Desta vez será parecido, mas com duplas masculinas, femininas e quartetos mistos. Haverá provas de cross country de eliminação, contra-relógio, BMX, cross-country e de estrada. A colocação do atleta na prova vira pontos e a equipe com menos pontos vence. Na prova mista, apenas cross-country e estrada na forma de um revezamento contínuo, com cada atleta fazendo uma perna. Provas: 3 / Atletas Brasileiros: 4

Esgrima – De 11 a 14 atletas por arma, haverá rodada de poules e depois o mata-mata. Pedro Marostega está no florete masculino e Gabriela Cecchini no florete feminino. Por equipe, será uma prova mista por continente, com 3 meninos e 3 meninas, um de cada arma. Provas: 7 / Atletas Brasileiros: 2 (1H e 1M)

Futebol – Começa dois dias antes e terá apenas 6 equipes no masculino e 6 no feminino, divididas em 2 grupos de 3. No masculino, HON, ISL e PER no A e CPV, KOR e VAN no B. No feminino, PNG, VEN e SVK no A e CHN, MEX e NAM no B. Teremos dois pódios bem inusitados, assim como em 2010. Provas: 2 / Atletas Brasileiros: 0

Ginástica – Na artística, apenas provas individuais, com o individual geral e os 10 aparelhos. Na rítmica, individual geral e a prova por grupos e no trampolim, as duas provas individuais. Programa quase idêntico ao olímpico. O Brasil terá Lucas Cardoso, campeão pan-americano juvenil, e Flávia Saraiva, que substitui Rebeca Andrade. Na rítmica, Mayra Siñeriz compete. Provas: 16 / Atletas Brasileiros: 3 (1H e 2M).

Golfe – É a estreia do golfe em competições olímpicas. Primeiro 3 rodadas individuais para decidir os pódios. Depois, 3 dias de provas por equipe, com provas um pouco diferentes das usuais, incluindo mata-matas. Provas: 3 / Atletas Brasileiros: 0

Handebol – Cada país (menos a China, que é a sede) pode levar no máximo uma equipe masculino e uma feminino em esportes coletivos. O Brasil, assim como em 2010, optou pelo handebol. No masculino, Brasil no Grupo A contra Egito e Noruega. No B, SLO, QAT e TUN. No feminino, no A temos ANG, KOR e RUS e no B o Brasil pega CHN e  SWE. Está bem forte o handebol. Provas: 2 / Atletas Brasileiros: 28

Hipismo – Apenas provas de saltos, individual e por equipe. A equipe será por continente: Europa, América do Norte, América do Sul, Ásia, Australásia e África e os cavalos serão sorteados. Bianca Rodrigues representa o Brasil. Provas: 2 / Atletas Brasileiros: 1 (1M)

Hóquei – São 10 equipes por gênero e o hóquei é a versão reduzida de 5 aletas de cada lado num campo menor. São 3 tempos de 12min e o campo é a metade do oficial. Serão dois grupos de 5 equipes. No masculino, ESP, BAN, RSA, CAN e AUS no grupo A, NZL, ZAM, GER, URU e MEX no B. No feminino, ARG, FIJ, JPN, NED e RSA no A e CHN, GER, NZL, URU e ZAM no B. Provas: 2 / Atletas Brasileiros: 0

Judô – Cada país só pode enviar um menino e uma menina e serão apenas 4 categorias por gênero. Engraçado que nas categorias masculinas intermediárias são 21 atletas inscritos por prova, mas na mais pesada (até 100kg) são apenas 4! Que coisa mais mal feita. O Brasil terá José Basile no 81kg e Layana Colman no 52kg. Haverá uma prova por equipe, que mistura atletas de diferentes categorias e países. Provas: 9 / Atletas Brasileiros: 2 (1H e 1M)

Levantamento de Peso – Serão 6 categorias no masculino e 5 no feminino, com 110 atletas na disputa. Emily Figueiredo é a única brasileira, e disputará os 48kg. Ela é a 5ª na lista de entradas com 140kg no total. A chinesa Jiang Huihua é a melhor na categoria com 180kg! Emily está, teoricamente, a 20kg de um bronze. Provas: 11 / Atletas Brasileiros: 1 (1M)

Lutas – São 14 categorias, 5 na luta livre, 5 na greco-romana e 4 na luta feminina, com uma média de 8 atletas por prova. Rafael Filho nos 100kg livre e Calebe Correia nos 50kg greco-romana são os brasileiros. Provas: 14 / Atletas Brasileiros: 2 (2H)

Natação – Com 36 eventos, só perde para o atletismo. As disputas serão nos 50m, 100m, 200m, 400m e 800m livre, 50m, 100m e 200m estilos, 200m medley e 6 revezamentos, os 4x100m livre e medley masculino, feminino e misto. Cada país pode inscrever 4 meninos e 4 meninas. Haverá semifinais apenas nas provas de 50m e 100m. O Brasil chega com Matheus  Santana como principal nome e grande favorito nos 50m livre e 100m livre, além de ótimas chances nos revezamentos. Entre as estrelas internacionais, o grande nome vem da Lituânia, com a campeã olímpica, mundial e recordista mundial Ruta Meilutyte, que nadará 4 provas individuais. Provas: 36 / Atletas Brasileiros: 8 (4H e 4M)

Pentatlo Moderno – 24 meninos e 24 meninas disputam o pentatlo em Nanjing, que usará a nova ideia da UIPM, com a rodada de todos contra todos na esgrima no dia anterior e um mata-mata no dia das disputas. Lembrando que nesta categoria não há prova de hipismo. Também terá a prova de revezamento misto, com as duplas sendo formadas pela ordem inversa da competição individual. O campeão masculino compete com a última colcoada no feminino e etc. Provas: 3 / Atletas Brasileiros: 0

Remo – Serão apenas 4 provas, os single skiffs (24 atletas por gênero) e os dois sem (12 barcos por gênero). O Brasil terá representantes apenas nos single skiffs. No masculino, Uncas Batista chega bem cotado, com o 12º no mundial Jr semana passada e o 11º lugar no Mundial Sub23 (no peso leve) há algumas semanas. No feminino, Sophia Py. Provas: 4 / Atletas Brasileiros: 2 (1H e 1M)

Rugby – Também faz sua estreia em competições olímpicas. Com apenas 6 equipes, todas jogam contra todas na fase inicial, com 4 avançando para as semifinais. No masculino, disputam KEN, JPN, FRA, USA, ARG e FIJ e no feminino TUN, CHN, ESP, CAN, USA e AUS. Provas: 2 / Atletas Brasileiros: 0

Saltos Ornamentais – São 5 provas, com a plataforma e o trampolim masculino e feminino, apenas no individual. Não há saltos sincronizados. A novidade é a prova por equipe mista, que misturará os países. O Brasil terá uma representante, Ingrid de Oliveira. Provas: 5 / Atletas Brasileiros: 1 (1M)

Taekwondo – 10 provas, 5 por gênero nas disputas. O Brasil conta com dois nomes, o campeão mundial juvenil Edival Pontes no 63kg e Milena Guimarães no acima de 63kg. Provas: 10 / Atletas Brasileiros: 2 (1H e 1M)

Tênis – O torneio terá a presença de alguns dos principais nomes do tênis juvenil, como os líderes do ranking mundial Ivana Jorovic (SRB) e Andrey Rublev (RUS), além do brasileiro Orlando Luz, 3º do ranking entre outros top 10. Boas chances do Brasil aqui com Luz e Marcelo Zormann, atuais campões de duplas em Wimbledon. No feminino, Luisa Stefani joga. Há mistura de países em duplas e duplas mistas. Provas: 5 / Atletas Brasileiros: 3 (2H e 1M)

Tênis de Mesa – 32 mesatenistas disputam cada prova individual e todos jogam na prova de equipes mistas. As equipes foram formadas por atletas do mesmo país, quando possível, depois do mesmo continente, quando possível também. Hugo Calderano chega muito bem para as disputas e jogará ao lado da forte uruguaia Maria Lorenzotti. O problema é que, juntando mesmos países, há equipes da China, Coreia do Sul, Japão, Alemanha. Em 2010, foi tudo misturado. Provas: 3 / Atletas Brasileiros: 1 (1M)

Tiro – Como em 2010, as disputas serão na pistola de ar 10m e no rifle de ar 10m. A novidade fica por conta das provas mistas, que misturarão países e gêneros, e será uma disputa no formato de mata-mata. De olho no chinês Yang Haoran, que ainda juvenil, é o líder do ranking mundial adulto, já vencendo duas etapas da copa do mundo no rifle de ar 10m, e a final da copa do mundo de 2013. Provas: 6 / Atletas Brasileiros: 0

Tiro com Arco – Haverá disputas no individual e nas duplas mistas, em parcerias a serem sorteadas. Grande chance de medalha aqui com o Marcus Vinícius D’Almeida, que acabou de ser 4º colocado na Copa do Mundo na Polônia. Seu principal adversário será o francês Thomas Koenig, mas deve ficar de olho, claro, no sul-coreano. No feminino, uma boa aposta é a guatemalteca Regina Romer, 4ª colocada no Mundial Cadete. Ana Clara Machado será a representante do Brasil no feminino. Provas: 3 / Atletas Brasileiros: 2 (1H e 1M)

Triatlo – 32 atletas por gênero disputam a prova de triatlo, que será no formato reduzido so sprint. No revezamento misto, dois meninos e duas meninas formam uma equipe, que será agrupada por continente, da segunte maneira: o melhor e o segundo melhor do continente no masculino e no feminino formam uma equipe, podendo haver mais de uma por continente. Conforme sobram os atletas, eles formarão uma equipe intercontinental. Brasil apenas com Barbara Santos na disputa. Provas: 3 / Atletas Brasileiros: 1 (1M)

Vela – Assim como em 2010, as dipsutas serão nas classes Byte CII e Techno 293, todas individuais. A Byte é um veleiro ligeiro, no estilo do Laser, e o Techno 293 é uma das classes de windsurf. Brasil terá representantes em 3 classes, ficando fora apenas do Techno 293 feminino. Provas: 4 / Atletas Brasileiros: 3 (2H e 1M)

Vôlei de Praia – É uma novidade, pois em 2010 foi disputado o vôlei de quadra. São 36 duplas masculinas e 36 femininas, bastante gente. Muitos países sem a menor tradição e que tomarão umas boas lavadas, mas faz parte. O Brasil é mega favorito nas duas provas. Terá os campeões mundiais sub19 semana passada Arthur e George Wanderley no masculino e Duda ao lado de Ana Patrícia no feminino. Duda é bicampeã mundial Sub19 e tem apenas 16 anos. Provas: 2 / Atletas Brasileiros: 4 (2H e 2M)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s