Mundial Juvenil de Atletismo – Dia 5

Mais show americano e belas performances mundiais.

Provas de pista

No primeiro dia sem provas pela manhã, 4 finais de pista, sendo 3 ouros americanos.

Começando com os 400m com barreiras feminino, Shamier Little sobrou e venceu com 55.66, seguida pela britânica Shona Richards com 56.16, recorde nacional, e por outra americana, Jade Miller com 56.22.

Nos 3.000m com obstáculos feminino, a única vitória não-americana. Ruth Jebet, de Bahrain, também dominou a prova e venceu com 9:36.74, bem a frente das quenianas. Rosefline Chepngetich foi prata com 9:40.28 e Daisy Jepkemei bronze com 9:47.65.

Já nos revezamentos 4x100m, domínio americano. No feminino, elas venceram com 43.46, melhor amrca juvenil no ano. A Jamaica ficou com a prata com 43.97 e a Alemanha com o bronze com 44.65. O Brasil, que vinha de medalha dois anos atrás, errou uma passagem do bastão (lembram de Moscou ano passado?) e não terminou a prova.

No masculino, eles venceram com 38.70, deixando para trás a ótima equipe do Japão, prata com 39.02, e sempre forte Jamaica com 39.12. Engraçado que tivemos na final países sem grande tradição como a China em 4º, Austrália em 7º e até a Tailândia (que não terminou).

Nas semifinais dos 800m, Thiago André ficou em 2º na sua bateria copm 1:48.16 e avançou a sua 2ª final do Mundial. O melhor tempo foi do americano Ter’tez Kinnaird com 1:48.04. Nas eliminatórias dos revezamentos 4x400m, os Estados Unidos fizeram o melhor tempo nas duas provas. No masculino, 3:32.73, melhor tempo do ano, mesma situação no feminino, com 3:03.97. Mais domínio americano, dessa vez na semi dos 100m com barreiras, com Kendell Williams com o melhor tempo, 12.98.

Provas de campo

No salto com vara masculino, o russo Daniil Kotov fazia uma prova perfeita, sem erros e liderava. Em 5,45m, ele e mais 3 passaram de primeira, enquanto o francês Axel Chapelle precisou de dois saltos. Em 5,50, foi a vez de Chapelle (assim como Kotov) passar de primeira, enquanto outros dois passaram na segunda chance. Kotov era o líder, mas viu Chapelle passar sozinho em 5,55m (e na primeira tentativa!). Com três falhas, o russo ficou com a medalha de prata, deixando o ouro para o francês, com a melhor marca juvenil do ano. Ele ainda tentou 5,64, mas não deu. O bronze foi para o alemão Oleg Zernikel com 5,50m. Aliás, a prova foi tão boa que os 8 primeiros fizeram melhores marcas pessoais!

E foi mais um ouro francês, dessa vez no salto triplo feminino. Rouguy Diallo assumiu a liderança desde o primeiro salto, com 14,24m. Ela ainda melhorou na 3ª tentativa com 14,44m, salto do ouro, e ainda teve um 14,20m na 4ª. Quem chegou mais perto foi a cubana Liadagmis Povea, com 14,07m e com mais três saltos acima de 14,00m. O bronze ficou com a chinesa Xiaohong Li com 14,03m. A brasileira Núbia Soares disputou a final, ficando em 8º lugar com 13,53m.

Por fim, no disco masculino, o croata Martin Markovic já era líder também na primeira tentativa, com 64,70. Na 3ª rodada, 66,94m e melhor marca do ano. Ele ainda queimou 4 vezes. O alemão Henning Prüfer com 64,18m ficou com a prata e o norueguês Sven Martin Skagestad com o bronze com 63,21m.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s