Jogos Sul-Americanos – Dia 1

E a Argentina assume a liderança num dia de 42 finais!

Ginástica Artística

A equipe brasileira feminina faturou o ouro por equipes, mas não foi tão bem quanto deveria. O Brasil foi a melhor equipe no solo, na trave e no salto, mas deixou muito a desejar nas barras assimétricas com nenhuma nota acima de 12.7! Aliás, já tem um tempo que as meninas tem caído muito de performance nas barras e a trave deixou de ser o maior temor. Precisamos melhorar urgentemente e reduzir o alto número de quedas. Apesar disso, o Brasil somou 213.250 contra 209.950 do Chile, que fez uma ótima prova.

Na disputa individual, Jade Barbosa está de volta e levou o ouro com 55.250. Ela fez a melhor nota no salto, prova que já lhe deu medalha em mundial, na trave e foi a 2ª no solo. A jovem Julie Kim Sinmon de 15 anos ficou com o bronze com 52.300 graças a uma boa apresentação na trave.

Decepção de Daniele Hypolito que vinha para pegar a prata até ir muito mal nas barras e tirar a horrível e baixíssima nota de 11.200. Daniele terminou em 5° e Isabelle Cruz foi a 7ª para consolidar o domínio brasileiro. Prata para Simona Castro (CHI) e bronze (dividido com Julie) para Makarena Pinto (CHI).

Natação

O Brasil segue liderando a natação, mas sem fazer o estrago que era esperado. Neste sábado foram mais 3 ouros: Leonardo de Deus (seu 2°) nos 200m borboleta com 1:57.84, Larissa de Oliveira nos 100m livre com 55.70 e o revezamento 4x200m masculino com 7:25.35.

Foram também 1 prata com Graciele Herrmann nos 100m livre com 56.36 e 4 bronzes com Julia Gerotto nos 400m medley com 4:55.36, Fernando Ernesto dos Santos nos 100m costas com 55.27, Marcos de Oliveira nos 400m livre com 3:56.89 e Natalia de Luccas nos 200m costas com 2:17.96.

Pela primeira vez, um pódio sem brasileiro na natação. Foi nos 800m livre feminino, com vitória de Andreina Pinto (VEN) com 8:35.41 em boa disputa com Kristel Kobrich (CHI). Andreina, aliás, venceu seu 3° ouro nos 400m medley com 4:51.17. A Venezuela conseguiu seu 3° ouro com Albert Subirats nos 100m costas com 54.31. Carolina Henao (COL) levou os 200m costas com 2:14.42 e Martin Naidich (ARG) fez uma prova de recuperação espetacular para vencer os 400m livre com 3:56.23, seu 2° ouro.

Outros Esportes

A vice campeã mundial e bronze em Londres Yane Marques sobrou no pentatlo feminino.Ela foi a melhor na esgrima perdendo apenas 5 dos 28 combates, fez o melhor tempo na natação e foi perfeita no hipismo. Na combinada fez a 2ª pontuação e completou a prova com 56s de vantagem sobre a chilena Javiera Ceron. Priscila de Oliveira ficou com o bronze 1min25s atrás de Yane, após uma péssima prova de esgrima.

A equipe brasileira de adestramento levou o ouro com 68,279% contra 65,504% da Argentina e 64,704% do Chile.

O ciclismo BMX teve provas contra relógio hoje e só deu Colômbia. A campeã olímpica em Londres Mariana Pajon e o bronze em Londres Carlos Oquendo ficaram com o ouro. Renato Rezende foi prata por muito pouco. Completou a descida em 33.487 contra 33.403 do colombiano.

Pamella Oliveira foi prata no triatlo, chegando 17s após Barbara Riveros (CHI). No masculino, Diogo Sclebin ficou em 4° a mais de 30s do bronze.

Na disputa da luta greco-romana, domínio da Venezuela que levou 5 das 6 categorias. Os brasileiros conquistaram apenas 2 bronzes com Ronisson Santiago nos 85kg e Diego Romanelli nos 59kg.

No remo, a Argentina foi absoluta e levou os 4 ouros do dia, ajudando os hermanos a assumirem a liderança do quadro de medalhas. Levaram o double skiff peso leve masculino, o single skiff peso leve feminino, dois sem masculino e o double skiff masculino. Aliás, na prova feminina, Fabiana Beltrame foi medalha de prata, uma enorme decepção para quem já foi campeã mundial e 4ª colocada no último Mundial.

No caratê, apenas um bronze com Natalia Ribeiro nos 68kg feminino. Foram outras 3 derrotas em disputas de bronze.

Surpresa do dia com o ouro no slalom masculino do esqui aquático para Nicholaas Fuldauer. Ele não estava entre os cotados para medalha e ficou com a vitória. Tereza Lobato foi prata no wakeboard feminino e Marcelo Giardi que tinha tudo para levar no masculino foi 4°.

No rugby 7s masculino, 3 vitórias (17-7 no Peru, 26-7 na Colômbia, 10-0 no Paraguai) e uma derrota (14-12 pro Chile). No feminino, foram perfeitas com 4 vitórias bem tranquilas: 44-0 no Paraguai, 48-0 na Venezuela, 22-0 na Colômbia e 34-5 na Argentina.

Nos outros esportes coletivos, vitória fácil no handebol masculino de 36-19 na Venezuela. No futebol feminino, empate em 0-0 com o Uruguai. O hóquei na grama masculino conquistou uma boa vitória de 2-1 sobre o Uruguai e a equipe infanto-juvenil de vôlei feminino fez 3-0 (25-8 25-20 25-13) na Colômbia.

Após 52 finais, a Argentina lidera com 13-116, seguida do Brasil encostado com 13-6-14, Venezuela 11-4-9, Colômbia 5-12-10 e Chile 5-11-13.

ARG 13-11-6

BRA 13-6-14

VEN 11-4-9

COL 5-12-10

CHI 5-11-13

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s