Mundial de Judô – Parte II

Continuando a cobertura do Mundial de Judô no Rio de Janeiro

Dia 5

Bronze em Londres, Mayra Aguiar chegou como a grande favorita na disputa da categoria até 78kg, chegando ao Rio como cabeça de chave número 1. Com um waza-ari na primeira luta, Mayra levou um ippon no finalzinho da segunda, perdendo para a holandesa Marhinde Verkerk. Na repescagem, dois ippons seguidos e a medalha de bronze. Mayra, assim, conquista sua terceira medalha em Mundiais adultos e a sétima no total. E ela tem 22 anos ainda… Na final, Verkerk enfrentou a norte-coreana Sol Ky-ong e levou um waza-ari, dando o ouro para a asiática. O outro bronze foi para a francesa Audrey Tcheumeo.

Sem o sul-coreano campeão olímpico, o cubano vice-campeão olímpico Asley Gonzalez foi para o ouro. Ele enfrentou na final o georgiano Varlam Liparteliani, número 1 do mundo, e empataram em 0-0, mas o cubano contava com apenas 1 shido, contra 2 do europeu, e assim faturou seu primeiro mundial. Os bronzes foram para o grego Ilias Iliadis, campeão olímpico em 2004 e bicampeão mundial, e para o russo Kirill Denisov. Eduardo Santos, que substituiu Tiago Camilo, perdeu logo na estreia por ippon.

Fechando o quinto dia, a categoria 70kg feminino viu a colombiana bronze em Londres Yuri Alvear ganhar seu segundo título mundial, repetindo o feito de 2009, vencendo a alemã Laura Koch por ippon, dando o segundo ouro sul-americano no Rio. Os bronzes ficaram com a holandesa Kim Polling e a sul-coreana Kim Seong-yeon. Maria Portela começou bem, com 2 vitórias, até ser derrotada por outra coreana. Na repescagem perdeu para a tricampeã mundial Lucie Decossé por ippon no golden score. Decossé foi derrotada na disputa do bronze e anunciou sua aposentadoria do judô após grande carreira.

Dia 6

Era agora ou nunca. A medalha masculina demorou, demorou, mas veio na última prova! E ficou para o nosso bronze em Londres Rafael Silva salvar a pátria. Ele venceu 2 lutas por ippon e chegou a semifinal. Lá, enfrentou o outro bronze em Londres, o alemão Andreas Toelzer. Numa luta apertada, ninguém pontou, mas Rafael avançou com 1 shido, contra 2 do alemão. Na final, veio o mito: Teddy Riner. O francês é um monstro e imobilizou o brasileiro com 2min de luta. Riner levou o seu sexto título mundial, o quinto na categoria (o outro foi na categoria aberta). Riner não perde na categoria +100kg desde a semifinal olímpica de Pequim-2008. Aliás, ele não leva um golpe sequer há 5 anos! A derrota na final da categoria aberta em 2010 foi na bandeirada. Riner já é um dos grandes nomes da história do judô e tem tudo para manter o seu domínio por um bom tempo. Os bronzes foram para Toelzer e para o tunisiano Faicel Jaballah, uma das surpresas do Mundial. Nas oitavas, Jaballah foi protagonista de uma cena curiosa. Ele enfrentava um egípcio que recebeu um shido. O árbitro retomou a luta, mas o egípcio ficou olhando para o técnico. O tunisiano nem quis saber e derrubou um distraído egípcio, vencendo por ippon.

Quinta em Londres e líder do ranking, Maria Suelen Altheman teve campanha quase idêntica a Rafael! Duas vitórias por ippon, na semi avançou por ter menos shidos após empate em 0-0 e na final perdeu por imobilização. E o ouro também foi para a campeã olímpica da prova, a cubana Idalys Ortiz. Quinta medalha feminina das meninas brasileiras! Grande campanha! Os bronzes foram para a coreana Lee Jung Eun e para a japonesa Magumi Tachimoto.

Encerrando as disputas individuais, o líder do ranking mundial, Elkhan Mammadov do Azerbaijão fez um waza-ari por luta e levou o ouro, vencendo o forte holandês Henk Grol na final. Os bronzes foram para o alemão Dimitri Peters e para o checo Lukas Krpalek. Renan Nunes perdeu na estreia para Peters e Luciano Correa, campeão mundial no Rio em 2007, venceu a primeira luta, mas perdeu na 2ª para francês por ippon.

Dia 7

O mundial foi encerrado com as disputas por equipes. No masculino, novo fracasso. E logo na estreia. Perderam para a Alemanha por 4-1 e ficaram sem medalha. Já no feminino, ótima campanha: 3-2 na Alemanha e 3-2 na Coreia do Sul. Na final, duelo com as japonesas. Aliás, a equipe feminina japonesa estava devendo um ouro e tinha conquistado até então apenas 1 prata e 2 bronzes. Na final, Erika Miranda perde para Hashimoto, Rafaela Silva vence Anzu Yamamoto, Katherine Campos perde para Kana Abe, Maria Portela vence Haruka Tachimoto e na decisiva, Maria Suelen Altheman perde por shido para Megumi Tachimoto. Ouro japonês e mais uma prata brasileira. No masculino, a Geórgia bateu a Rússia.

Finalizando

Grande campanha brasileira, com 1 ouro, 4 pratas e 2 bronzes, 7 no total. No feminino 1-3-2 e o Brasil liderou o ranking feminino. No masculino, com 3-0-2, o Japão foi o melhor. No total, Japão termina com 4-1-4, seguido da França com 2-2-4, Cuba 2-0-1 e Brasil 1-4-2. 11 países ganharam medalhas de ouro e 23 medalharam. Interessante que nenhum país ganhou 2 ouros no feminino.

Somando as vitórias por país, o Japão conseguiu 53, seguido da França com 40 e do Brasil com 36. No masculino, Japão teve 31 e no feminino o Brasil foi o melhor com 24. Apenas 3 líderes do ranking conquistaram o ouro e só Riner e Ortiz confirmaram o ouro que venceram em Londres, ambos na categoria mais pesada.

O próximo Mundial será em 2014 na cidade russa de Chelyabinsk.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s